PENSAR O PODER, O ESPAÇO E O CORPO: HETEROTOPIAS E FRONTEIRAS

  • Clarissa Naback
Palavras-chave: espaço, corpo, heterotopia, fronteira, subjetivação

Resumo

Esse texto pretende analisar as relações entre a produção do “outro” e os processos de
subjetivação a partir de figuras heterotópicas. Inicialmente, traça-se um percurso sobre o
pensamento do filósofo Michel Foucault que examinou as relações de poder sobre os
corpos e espaços, mas que em um texto, aparentemente solto, discorreu especificamente
sobre o espaço, em especial os “espaços outros”. A heterotopia surgiria então no limiar
das relações de poder, mas de que maneira ela pode contribuir para pensar a “produção
de si”? Para tanto, percorre-se a obra de Gloria Anzaldúa, Borderlands/La Frontera:
The New Mestiza, que numa escrita mestiça (inglês e espanhol) cartografa os diferentes
percursos que constituem as fronteiras e os sujeitos das fronteiras (no caso os
“chicanos” – mexicanos ou filhos de mexicanos que habitam nas margens entre Estados
Unidos e México) e as possibilidades de produzir uma nova consciência nessas
encruzilhadas.

Publicado
2017-07-03